segunda-feira, 1 de agosto de 2011

E afirmo para vocês! - Jesus, versão NTLH

Li um artigo interessante do Pr Ciro com título "Para Lucas 16.9 a minha resposta é 'não sei'". Depois viajei um pouco a 4 anos, quase 5, quando comecei a me perguntar: por quê? Meus por quês eram interessantes, pois eu ficava em conflito com aquilo que eu havia aprendido desde a infância, e que consumei com os cursos teológicos. Eu colocava o aprendizado teológico com a didádica do Mestre e as coisas não se juntavam, não batiam. 

Jesus nunca deixou ninguém em dúvida com aquilo que Ele dizia. O jovem rico, ao ouvir a explicacão do Mestre, vai embora. Ele entendeu que deveria abrir mão daquilo que mais amava, para seguí-lo, e Jesus pregava a renúncia. O apóstolo João também afirma, da forma como aprendeu com Jesus, que "o amor lança fora o temor, porque o temor traz consigo a pena, o juízo". Dúvidas nos deixam atemorizados. Por quê? Porque a dúvida é ou costuma ser algo tenebroso, escuro, falta de luz, de verdade. E ficamos perdendo tempo com dúvidas (eu já fiz isso) quando poderíamos apenas acender uma vela ou aguardar o dia clarear. Lutamos no escuro, com pouca visão daquilo que estamos enfrentando.

Jesus não disse: bem aventurados os que sabem tudo, que não tem dúvida alguma, que eles... mas sempre afirmou que aquele que ouve, guarda e pratica jamais ficaria com dúvidas ou preocupado, se cresse em Deus e nEle também (Jo 14.1). Eu adoro a Bíblia sagrada, contudo, para cultivar os relacionamentos interdenominacionais, corriqueiramente ela fica como a quinta coluna. Afasta, ao invés de aproximar.


Por isso, como diz Jesus, "eu (Elizeu) afirmo para vocês" que Salomão tinha razão quando disse que "o muito estudar enfado é da carne". Ao invés de nos libertar, nos prende! E o filho de José carpinteiro diz: "se você permanecer na minha palavra, será meu discípulo de verdade, e conhecerá a verdade, e a verdade te libertará (Jo 8.31,32)". Verdade é sinônimo de luz, e a luz liberta mesmo. Agora, expeculações, minha opinião, aquilo que eu aprendi, aquilo que quero ensinar, enfim, só deixam o "fardo leve" de Jesus Cristo um pouco mais "pesado".

2 comentários:

Daladier Lima disse...

Desculpe a petulância, mas o vs. deve ser entendido em seu contexto: senhor injusto, mordomo injusto, riquezas injustas, eternidade justa. Se complementam aqui e na eternidade. Só podem nos acolear na eternidade com os pares conseguidos aqui, os tais amigos com as riquezas da injustiça. O que o homem semear...
Em grego é uma excelente pesquisa. Que falta me faz o tempo!?

Elizeu Rodrigues disse...

Querido irmão, Deladier Lima

Águas, a palavra é como água, ela flui do trono de Deus mesmo. Eu amo a palavra de Deus. Obrigado por sua visita.