sexta-feira, 19 de agosto de 2011

"O mestre primeiro faz, depois ensina como faz" - Provérbio chinês

O mundo globalizado mostra uma tendência no setor cristão: os grandes mestres. Existem muitos pastores, conferencistas, evangelistas, cantores, professores, enfim, uma gama de títulos que fazem discípulos todo dia. A cada pregação, estudo, livro lançado no mercado, louvores no TOP LIST, métodos de ensino ou discipulado, esses "mestres" fazem seus discípulos. E os discípulos, baseados na pregação, na conferência, no louvor e música, etc, não conseguem avançar rumo ao alvo, pela falta do ítem mais necessário quando há mestre e discípulo: o exemplo, ou "know how".

Muitos dizem que Jesus foi o maior fazedor de discípulos. Mas como Ele fez isso? Pelo exemplo. Ele disse: "Eu, sendo Senhor e Mestre... vos dei o exemplo, para que vocês façam assim (Jo 13.14,15)". A pedagogia de Jesus se baseava na tese de mestrado dele: . Tudo que Ele disse, ensinou, pregou, havia acontecido antes na vida dele. E Ele aplicava sempre a FÉ em Deus para passar os problemas. Vejamos o que Ele viveu antes para ensinar depois:

1-submissão a autoridade: João Batista disse: "Não posso batizá-lo, pois não sou digno". Jesus responde: "Temos que cumprir toda a justiça", isto é, o que está escrito na LEI (todo AT). E o Mestre é batizado, para depois ensinar: dai a César o que é dele; e a Deus o que é dele também; façam o que os sacerdotes falam"

2-não viver ansioso: depois do batismo Ele é tentado. O diabo diz: transforme as pedras em pão, poque você está com fome. Jesus responde: o homem não vive só de comida, de pão. Depois Ele ensina: não fiquem ansiosos, pois o Pai dá o mantimento para vocês. Ele tinha fome, pois ficou 40 dias sem comer. Mas esperava um banquete que seria dado por Deus.


3-estar na vontade de Deus: o diabo diz, após colocá-lo no pináculo do templo: pula daqui, pois os anjos vão te guardar. Jesus responde: Tentar a Deus, Eu? O barco no meio do mar da Galiléia, os discípulos temerosos de perder a vida, e Jesus dormindo sossegado, porque Ele ensinou que não devemos nos preocupar com a vida e sim, confiar em Deus e na vontade dele. No momento mais difícil em sua vida, Jesus ora e diz: Pai, estou tão aflito! Se possível, me ajude. Mas faça a tua vontade, não a minha.

4-adorar apenas a Deus: o diabo então diz: tudo isso é teu, tudo, apenas me adore como seu senhor. Jesus se indigna e diz: Vai-te daqui. Eu só adoro a Deus! Ele aprendeu aqui, e sobre muita pressão, que apenas Deus merece adoração. E todo ministério dele foi assim pois jamais aceitou o louvor dos hipócritas, nem a bajulação deles (Lc 11.27). Também nunca agradou os mestres ou sacerdotes para falicitarem seu ministério. Ele ensinava assim, pois sua vida era assim.

Jesus diz: "O discípulo não é maior que o seu Mestre". Jamais teremos a capacidade de sermos maiores que Jesus Cristo, jamais. Isto é fato e não entrarei nesse mérito. Comentarei a segunda parte do verso que diz: "todo aquele que for perfeito, será como seu Mestre". Esta perfeição está diretamente ligada ao nível de ver o Mestre fazer, e procurar fazer igual. E o maior exemplo não são os milagres, as curas, as maravilhas. O exemplo maior em se tornar um discípulo verdadeiro está na atitude de lavar os pés dos outros, no amor pelos outros, no fazer bem aos outros. O restante, os milagres, são apenas detalhes daquilo que Jesus realmente quer de nós, que é doar-se pelos outros, dar-se aos outros.

E o contexto didático do Mestre está naquilo que ele falou após lavar os pés dos doze: "Eu, sendo Senhor e Mestre". O que mais vemos é um retórica quando chega o momento de comentarmos este texto, e similares. Os grandes, e os que se acham grandes, sempre na sua retórica, afirmam que estão ali para servir. Eles ensinam coisas tremendas e os ouvintes tentam fazer tudo que eles ensinam. Mas pela falta de referência prática, esses discípulos ficam sem rumo, sem um ponto norte, e terminam por duvidar de tudo aquilo que aprenderam. Por quê? Porque este "estar ali para servir" é apenas blá blá blá, é falácia, é coisa de sacerdote de Mateus 23.2.

Jesus nunca deixou seus discípulos com dúvida. Ele dizia: "Eu afirmo a vocês (NTLH)", porque Ele havia feito muito tempo antes e por isso podia ousar em garantir isso. Ele dizia que "se você fizer isso, será isso, e será isso, se fizer isso", porque Ele já havia feito aquilo que estava ensinando. Ele fez suas teses com relação a , provou-as, e viu que tudo "será bom", quando usarmos a pequena FÉ que possuímos.

Tudo que Jesus ensinou Ele fez primeiro. Sabe por quê? Porque Ele é o Autor da . Tudo aquilo que Ele ensinava era baseado na . Parece um paradoxo com a religião judaica da época, porque corria um ditado nas ruas que dizia: "a fé remove montanhas". A religião ensinava que os abençoados financeiramente, entre outras coisas, era devido a sua "grande" fé. Esse era o motivo de os religiosos serem vistos como grandes homens de Deus. Os pobres e doentes, ao contrário, tinham rótulo de não crer em Deus. Este foi o motivo de Jesus dizer que "se sua FÉ for pequena, insignificante, mas verdadeira em Deus, ela (e agora ele usa o ditado deles) "a FÉ, remove montanhas". Não precisa ser grande, mas verdadeira.

E o ministério de Jesus termina quando ele ressuscita dos mortos e diz para si mesmo: "Posso concluir minha tese sobre FÉ, pois ela é verdadeira. Eu disse que daria a minha vida e teria poder para tomá-la de volta, e devido a minha em Deus, meu Pai, eu consegui isso". E apresenta sua tese ao Pai. Ele é também o Consumador da , pois tudo que ensinou baseado em crer no impossível aconteceu. Esse é o meu Mestre. Nele eu posso confiar.

Elizeu Rodrigues

Nenhum comentário: