quarta-feira, 18 de julho de 2012

Quem é Deus?


Mistérios que envolvem a coluna do cristianismo


"Palco de discussão teológica quanto a definição e compreensão por parte dos cristãos e completa rejeição por parte dos que estudam a teologia sem fé, a Trindade é fundamental para a cosmovisão, teologia e prática cristã. Mais importante do que isso: A doutrina da Trindade é claramente ensinada nas escrituras". Fonte - http://www.e-cristianismo.com.br/pt/trindade/180-observacoes-a-doutrina-da-trindade


Dizer que trindade é "claramente ensinada nas escrituras" é a pior forma de argumentação para se defender esse mistério, por assim dizer. Outra coisa, afirmar que há "rejeição por parte dos que estudam a teologia sem fé" parece correto a princípio, mas quem é o homem racional que racionaliza suas questões por fé? Se o leitor iniciante começar seu estudo e pesquisa sobre quem é Deus, ou como está escrito no profeta livro do profeta Oseias que diz: "Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra - Os 6.3", nunca encontrará nada que relacione uma pluralidade de pessoas na formação do Deus de Israel. E também será como a "ALVA" do dia, ou como algo claro e transparente. Não será nenhum mistério ou coisa parecida.

E quando vamos ao novo testamento, mais precisamente ao apóstolo Paulo, que era teólogo, mestre, escriba, leitor e estudante das escrituras, em nenhum lugar daquilo que ele escreveu da revelação do Deus que "prometeu antes pelos seus profetas acerca do seu FILHO (Rm 1.2,3)" veremos a afirmação de um Deus composto em pessoas distintas divinamente. Nada será descrito ou ensinado por Paulo diretamente sobre esse tema, a não ser quando vamos ao tema com os conceitos pré-revelados. Agora, quem nos revelou isso? O Espírito Santo, o Consolador? 

Paulo era judeu, circuncidado, guardador do sábado, monoteísta, que não se alimentava de nada imundo como é relatado nas escrituras. Ele não deixou nada claro que ligue Deus, o Pai, como sendo a primeira pessoa divina. Para Paulo, e isso está claro nas cartas que ele escreveu, Deus é Deus, supremo e altíssimo e ponto final. Se o leitor iniciante, de mente vazia e sem preconceito formado sobre a misteriosa doutrina sobre trindade divina, apenas buscar conhecer a Deus, encontra-LO-á não em forma homoousia de Jesus, mas na forma de Deus e de Pai, Aba.

Essa revelação de um Deus trino deve-se ao fato das muitas controvérsias cristológicas que surgiram após a morte dos apóstolos. A controvérsia nunca foi sobre Deus. Ela sempre esteve ligada a pessoa de Jesus Cristo, se ELE é Deus ou não, se ELE é criado ou não, entre outras controvérsias. A entrada da filosofia e conhecimento secular, as proposições e argumentos lógicos para refutar aquilo que os hereges (segundo eles) diziam acerca do Cristo, fizeram os mestres incorrerem em trágicos erros, em dilemas e inúmeras brigas teológicas. Passaram-se séculos até o DOGMA base do cristianismo ficar pronto. Séculos? Sim, alguns séculos. Mas se os mestres e teólogos afirmam que a trindade é revelada facilmente nas escrituras hoje, por que demoraram séculos para a afirmação desse tão misterioso axioma cristão?

O primeiro indício dessa demora foi por se tratar de uma profecia ou revelação não bíblica, anti-bíblica, ou sem um emissário da tal revelação. Esse dogma é totalmente contrário aquilo que Jesus disse aos judeu: "Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito - Jo 5.39". A revelação das escrituras (antigo testamento) diz respeito, conforme as palavras de Jesus Cristo, não a salvação ou perdição de alguém, mas a revelar em Jesus Cristo, homem (1 Tm 2.5), o redentor de Israel, como o Messias e aquele que, como salvador, reconciliaria o homem justo a Deus.

Um grande filósofo, Plotino, formulou um conceito sobre o universo e para tanto, introduz uma palavra, aliás, criou o termo HIPÓSTASE, tendo o significado de substancia ou realidade. Mais tarde, os bispos da igreja cristã em seus concílios se utilizarão deste substantivo para endossarem suas afirmações sobre a doutrina da trindade. Mas vale ressaltar que a princípio, Plotino queria dizer que esse seu substantivo filosófico serviria para explicar a forma como ele dividia o universo, nas três partes como sendo: Uno, ou Deus; Nous, ou emanações do ser divino no universo; e Alma, num conceito filosófico cheio de termos e definições técnicas - Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Plotino, e também http://pt.wikipedia.org/wiki/Hip%C3%B3stase, entre outros links.

Foi o Espírito Santo quem revelou a doutrina da trindade ao homem? Biblicamente, não. Teologicamente pelo lado dos cristãos trinitários, sim. Jesus diz assim do PARAKLETO: Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse - João 14:26; Quando vier o Conselheiro, que eu enviarei a vocês da parte do Pai, o Espírito da verdade que provém do Pai, ele testemunhará a meu respeito - João 15:26; Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir - João 16:13. 

A revelação partiu de conceitos teológicos/filosóficos acerca das verdades sobre Deus e de interpretações Antigo/Novo Testamento. E como disse o filósofo francês Gilles Deleuze "os filósofos criam conceitos. Os filósofos não podem resolver os problemas que o seu conceito criou, então, permanecem o conceito e o problema, com seus pretendentes". Que verdade inequívoca! O conceito TRINDADE permanece e com ele o problema da falta de respostas lógicas, racionais e filosóficas acerca de perguntas simples como: Por que eu sei (a Cristologia ensina isso) o que Jesus Cristo disse não saber?

As controvérsias cristológicas pós apóstolos levaram a cúpula da igreja a uma escuridão teológica, a uma caverna de conceitos e afirmações sobre o Senhor Jesus Cristo das quais nem ELE, nem os apóstolos ratificariam facilmente. Nem a revelação nas escrituras é capaz de sustentar, nela mesma, tal meninice (usei um termo menos pesado). 

Mas se é mistério, deveria estar no Apocalipse. Esse mistério jamais deveria ser a célula base da igreja. Nem a coluna principal, doutrinariamente falando, e o ponto mais cheio de falsas explicações existentes.


Elizeu Rodrigues

2 comentários:

disse...

vc é unicista Elizeu?
Estou lendo um livro sobre unicismo e tem quase tudo que vc postou aqui do pastor Carlos Magno de Miranda sobre.

Elizeu Rodrigues disse...

Rô, eu não sou UNICISTA. Sou criado no conhecimento da trindade.

Isto que eu escrevi é da minha cabeça, sem nenhuma contaminação com outro pensamento. Como eu escrevo, as respostas lógicas as perguntas lógicas deveriam existir pq o termo TRINDADE é lógico, nem um pouco teológico. Mas como disse Deleuze "permanecem o conceito e o problema".

Jesus Cristo veio retirar estes conceitos e estes problemas quando disse: Que conheçam a ti como único Deus verdadeiro.. e Jesus está falando do Pai, que ele disse que é maior do que todos. O prolema é o conceito e ele não responder de forma simples perguntas simples e sinceras.